728 x 90

Moeda chinesa atinge menor cotação desde 2008 com intensificação da guerra comercial

A moeda chinesa, o iuan, registrou nesta segunda-feira (26) a menor cotação em 11 anos, em um mercado preocupado com a guerra comercial entre Estados Unidos e China e suas possíveis consequências para a economia mundial.

No final da manhã, o iuan era negociado a 7,1425 por dólar, o menor valor desde o início de 2008, mas alguns minutos depois já registrava uma cotação maior após o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmar que a China entrou em contato com autoridades comerciais dos EUA para dizer que quer retornar à mesa de negociações.

A tensão econômica aumentou nos últimos dias, depois que China e Estados Unidos aumentaram as tarifas de suas respectivas importações. O presidente Donald Trump aumentou o temor ao ordenar que as empresas americanas procurem alternativas à produção em território chinês.

O iuan não pode ser convertido livremente, pois a moeda é controlada de maneira rígida pelo governo chinês, que limita a flutuação frente ao dólar a uma margem de 2% acima ou abaixo de um valor estabelecido pelo Banco Central diariamente. O objetivo é refletir as tendências de mercado e controlar a volatilidade.

O Banco Popular da China reduziu o valor pouco a pouco nas últimas semanas. Nesta segunda-feira chegou a 7,057 iuanes por dólar.

A desvalorização do iuan deixa as exportações chinesas mais baratas e compensa, em parte, o aumento das tarifas americanas.

“A depreciação do iuan é obviamente uma proteção ante as tarifas americanas”, declarou à agência Bloomberg Mitul Kotecha, economista especializado em mercados emergentes do banco Toronto-Dominio.

“Enquanto a China conseguir assegurar que a desvalorização do iuan está bem controlada, ou seja, que não provoca perdas importantes, esperem ver mais depreciações da divisa”, completou.

A moeda chinesa superou a barreira de 7 iuanes por dólar no início de agosto, pouco depois do governo dos Estados Unidos anunciar a intenção de impor novas tarifas às importações da China a partir de setembro.

O movimento levou Washington a chamar Pequim de “manipulador de divisas”.

No total, na guerra comercial iniciada há mais de um ano, China e Estados Unidos anunciaram tarifas punitivas sobre mais de US$ 360 bilhões e comércio ao ano.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta segunda que a China quer voltar a negociar com o país. “Vamos retomar as negociações muito em breve. Acredito que alcançaremos um acordo”, disse o republicano. “Recebemos duas ligações, duas ótimas ligações”, completou.

Fonte: G1.Globo

Comentarios

os comentaio sao de sua problia responsabilidade *

Novidades

TOP 10 Musicas

  • banner lateral 2
  • Farmacia preço baixo